Profissionais da educação fazem manifestação em Paraíba do Sul | JC Online

Profissionais da educação fazem manifestação em Paraíba do Sul




O Sindicato Estadual dos Profissionais da Educação (Sepe), de Paraíba do Sul, que realizou uma paralisação, na manhã desta segunda-feira (25), em frente a prefeitura, reivindicando o Cumprimento da Lei do 1/3, a atual situação da PREVSUL e o reajuste salarial, entre outros direitos.

Dezenas de profissionais se reuniram com cartazes e faixas, exigindo o cumprimento da Lei Federal que diz respeito à carga de planejamento dos professores, que determina o 1/3 para planejamento fora de sala de aula nas redes públicas, conforme informou o Sepe.

Segundo o sindicato, Paraíba do Sul é uma das poucas cidades do país em que os professores trabalham 4 horas e meia por dia, sendo que ideal é que trinta minutos desse tempo sejam utilizados para reunião de pauta, montar aula, participar do conselho de classe sem que os professores tenha que voltar à noite na escola.

Outro reivindicação foi com relação a PREVSUL - Instituto de Previdência de Paraíba do Sul, que segundo o Sepe passa por problemas graves. O sindicato alega que o repasse, que é mensal, não estaria sendo feito de maneira correta.

Além disso, o Sepe reivindica ainda reajuste salarial para merendeiras, serventes, monitores de creche, entre outros, que ainda não tiveram seus salários atualizados, diferentemente dos professores, que receberam aumento de 6,80%, seguindo a Lei do Piso Nacional.

Após o ato os manifestantes foram para o auditório da prefeitura e tiveram uma conversa com o prefeito Alessandro. Em nota o governo municipal se manifestou sobre o ato dizendo que alguns esclarecimentos foram feitos e que os demais pontos reivindicados estão sendo estudados.

“Os esclarecimentos feitos através de documentos deixaram claro que as questões envolvendo a falta de qualidade da merenda escolar e a dívidas desta gestão com a Prevsul não são verdades. A atual gestão do município é a única nos últimos 22 anos que não possui débitos de contribuição dos servidores com a Prevsul. O prefeito lembra que o diálogo precisa ser feito de maneira responsável e aberta, e deve incluir o Conselho Municipal de Educação, diretores, educadores, pais e alunos, para que toda reivindicação seja democrática e de acordo com a ampla maioria”, informou a nota.