Transporte público: população segue apreensiva em Paraíba do Sul | JC Online

Transporte público: população segue apreensiva em Paraíba do Sul




Mesmo com a licitação de concessão de nova empresa de ônibus em Paraíba do Sul, que aconteceu no fim de novembro e teve como vencedora a Viação Moura Transportes Eireli, o serviço de transporte público na cidade ainda não teve melhorias.

As reclamações de usuários do transporte público municipal têm sido constantes, além de serem as mesmas de antes da licitação. Problemas que deveriam cessar com a realização da licitação por parte da Prefeitura, continuam como: horários que não são cumpridos, veículos pegando fogo, sem campainha, com bancos quebrados, portas que não fecham, entre outros.

O problema mais uma vez virou pauta na Câmara de Vereadores, onde foi solicitado, pelo vereador Tiago Martins, que seja instituída uma Comissão de Trabalho para fiscalização do serviço oferecido pela empresa. O vereador solicita que a comissão possa cobrar as condições previstas no Edital de Licitação, do Contrato de Concessão regulamentado pela Lei Municipal 3.499/2018. Segundo Tiago, as devidas penalidades e multas devem ser aplicadas, em caso dos descumprimentos continuarem.

A empresa iniciou suas atividades na cidade no dia 1º de dezembro, após impugnação da licitação ter sido julgada e indeferida, na tarde da quinta-feira (29). Com a continuidade do processo, que contou com a participação de três empresas de ônibus interessadas em assumir o serviço na cidade. A Viação Moura, que cotou a passagem a R$ 1,70, venceu a licitação. Já a empresa Nobre Turismo apresentou a tarifa de R$ 2,60 e a AquáriusTur de R$ 2,75. Os envelopes da cotação foram abertos no dia 6 de novembro, quando foi feito o pedido de impugnação.

Desde Junho os moradores de cidade já estavam sofrendo em relação ao transporte. Após a greve que os funcionários da Viação Paraíba (VPL) fizeram, a empresa parou de atuar no município e a prefeitura assumiu o serviço. Inicialmente a empresa São Salvador de Campos dos Goytacazes, assumiu as linhas, mas os ônibus tiveram que retornar, pois eles teriam sido comprados com financiamento do Fundo de Desenvolvimento de Campos (Fundecam), e o governo municipal de Paraíba do Sul teve que devolver os coletivos para a cidade de Campos dos Goytacazes. Após isso, a Prefeitura convocou a empresa CTTC Rio (Cooperativa dos Trabalhadores em Transporte Coletivo de Passageiros Fretamento e Turismo do município de Nova Iguaçu e do Estado do Rio de Janeiro Ltda) que ficou responsável pelas linhas até o resultado final da licitação.